quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

AOS AFINS (Crônica)


Malu Monte

Prefiro o brilho da lua à luz do dia.
Prefiro o calor do verão ao frio do inverno.
Prefiro gotas de chuva à lágrimas escorridas pelo meu rosto.
Prefiro lembrar você a me dizer coisas lindas a ter que ouvi-lo praguejar-me.
Prefiro o sorriso sincero da criança do que o de um adulto hipócrita.
Prefiro correr descalça com as sandálias nas mãos do que manter a pose em cima de saltos que me machuquem os pés.
Prefiro a nudez a ter que ostentar vestes que mascarem as formas do meu corpo.
Prefiro tomar uma cerva gelada no boteco da esquina com alguém afim a tomar uma champagne francesa num lugar requintado com alguém que nada me diz.
Acho que não prefiro nada do que os outros também não prefiram... Por conta disso, será que sou tão comum assim?
Claro que não! É que não sou tola a ficar com o que de pior tiver na vida...Faço minhas escolhas pra ficar de bem comigo. E, se elas foram afins, oxalá, que sejam bem vindas, então... Pelo menos não vivo no egocentrismo de querer me diferenciar dos outros pra chamar a atenção.
Sei que gostos são assim e cada um tem o seu, mas o que se há de fazer se nas questões mais banais eles por vezes coincidem?...
Pura bobagem dos que pensam que são únicos nas suas escolhas...
O bom da vida é olhar pro outro e sentir que há retorno.
Por falar em retorno... Ora, bolas!... Isso não é só privilégio do Tim Maia! Hehehe...

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

O SEU SANTO NOME


Carlos Drummond de Andrade


Não facilite com a palavra amor.
Não a jogue no espaço, bolha de sabão.
Não se inebrie com o seu engalanado som.
Não a empregue sem razão acima de toda a razão ( e é raro).
Não brinque, não experimente, não cometa a loucura sem remissão
de espalhar aos quatro ventos do mundo essa palavra
que é toda sigilo e nudez, perfeição e exílio na Terra.
Não a pronuncie.


ESTE É UM EXEMPLO DE QUE EXISTEM PESSOAS COM AS QUAIS TEMOS GRANDES AFINIDADES DE OPINIÕES MESMO QUE NÃO NOS SEJAM PRÓXIMAS.
SEMPRE GOSTEI DO DRUMMOND - POETA, ALIÁS SOU UMA DISCÍPULA DELE, ENTRETANTO, NUNCA TINHA LIDO O POEMA POSTADO ACIMA. HOJE, PUDE CONSTATAR QUE ESTAVA CONECTADA COM ELE QUANDO ESCREVI O TEXTO ABAIXO.
SALVE MEU GRANDE MESTRE!!!!!

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

É O AMOR! - Crônica


Malu Monte

Pode até parecer uma canção de dupla sertaneja mas pensei nesse tema ao me deparar com tanta gente a utilizar o verbo amar .
Muitos dizem ter o tal sentimento, mas talvez nem se deem conta da responsabilidade de se proncunciar tais palavras;
Em nossos dias, a utilização da expressão "Eu te amo" tornou-se um grande artifício para se obter algo a mais do outro.
E, porque será que na insistência de dizê-la alguns chegam a banalizar esse tal sentimento chamado amor?
Talvez vocês se perguntem: - Mas não é melhor esse tratamento do que a utilização das práticas violentas que vemos ultimamente?
E eu vos digo: - Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa!
Vejam, existem várias formas carinhosas de tratamentos sem que precisemos apelar para algo tão significativo quanto o AMOR.
Seria o mesmo que transformarmos o mais nobre dos sentimentos em algo comum.
Então...
Amar ou não amar eis a questão!...
Não teria sido essa a real dúvida de Hamlet?
Refitam que a grande beleza de se amar alguém é se fazer compreender através das atitudes que utilizarmos para demonstrar aquele amor. Dizer-se "Eu te amo" a um indivíduo pode não ser o suficiente para fazê-lo acreditar. Ao falar e não demonstrar nem vale a pena tentar! Soa falso; O gesto trai o mentiroso.
A veracidade das palavras pode ser muito mais convincente para aquele que espera ser amado através dos atos por nós praticados.
No entanto, doar-se em doses homeopáticas não fará o seu suposto amor entender.
Amor é mais que isso! É sentimento que vem de dentro da alma e que doado ou não, ele estará lá para nos provar o quanto existe e que precisa ser passado a alguém.
E, se esse sentimento for amor de verdade, essa entrega deverá ser feita da forma mais cristalina possível, sobretudo, porque ou o entregamos de corpo e alma ou não terá valido a pena;
Então fica aqui um recado para os que querem ser gentis com o próximo:
Não utilizem essa expressão em vão! Guardem-na com muito carinho e a ofertem a quem lhe for de direito.
E para aqueles que esperam por esse grande amor, lembrem-se do que foi dito por um sábio:
"Para que amemos alguém é preciso que nos amemos primeiro."
De nada adiantará aceitarmos as migalhas desse sentimento - Aquele que as aceita nunca saberá se valorizar.
Afinal...

"AMOR NÃO É SERVIDO EM PEDAÇOS; PRA QUE SEJA AMOR TEM QUE SER INTEIRO."

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

SOLIDÃO A DOIS (Crônica)



Malu Monte


Triste quando se tem alguém que não se pode chamar de par
Este momento é aquele em que nos deparamos com a tal "solidão a dois". Nesse instante você se dá conta de que embora tenha companhia ela é só um número.
Ambos não falam mais a mesma língua - Usam dialetos diferentes.
Antes gostavam das mesmas coisas ou quase todas e, no entanto, hoje isso não acontece mais.
E que, ao tentarem se aproximar, mais parecem cargas iguais pois se repelem imediatamente. Percebe que não tem mais a química de antes. Seus corpos não mais se atraem e, como numa canção de roda, você percebe que o que era doce acabou!...
É...Solidão a dois é isso!... É se ter sem saber o que fazer; Companhia que não tem um porquê; Estar ali e não sentir pra quê. Estar junto fisicamente mas com a mente à viajar por entre mil constelações onde o outro nunca o alcançará.
Quantos de nós não já se sentiu assim?...
Sentir viver num planeta anos luz distante?! Com sorriso amarelo, estampado na face pela lembrança de momentos em que foram felizes?... Se pegar a sonhar de olhos abertos ao ponto de levitar enquanto o outro está ali ao seu lado com pose de fotografia bancando figuração de amante?
Você já se deu conta de que existem certos casais que tentam passar uma imagem irreal e ilusória de romance perfeito?
Na verdade são pares que não mais combinam; coadjuvantes de uma história cujo protagonista não há.
Então, por que não dar-se uma chance ao amor?!

sábado, 25 de julho de 2009

ODE À VIDA!


Malu Monte

Bom dia, luz do meu dia
Flor do meu bem querer
Água que me mata a sede
Ar que respiro

Bom dia, sorriso puro de criança
Meu mar de amor
Abraço que eu adoro sentir
Beijo babado que eu adoro ganhar

Bom dia, sol que me bronzeia o corpo
Chuva que me lava a alma
Calor que me aquece
Silêncio que me faz pensar

Bom dia, relva molhada
Vulcão em erupção
Chave que abriu meu coração
Raio que me faz vibrar

Bom dia rouxinol que canta pra mim
Música que me faz dançar
Amor que me inspira
Inspiração que chega sem eu chamar

Bom dia, anjo tudo de bom
Vida que me faz feliz
Gente que me faz sorrir
Juventude que me faz festejar

Boa noite, minha estrela maior
Brisa que assopra os meus cabelos
Lua que me ilumina
Noite que me faz sonhar.

sábado, 18 de julho de 2009

QUANDO ME VISTE



Malu Monte

Quem poderia supor que naquela noite tudo aconteceria...
E eu que não me dei conta de ser observada;
Tão elétrica eu estava,
A todos cumprimentava,
Em meio a todos passeava,
E não via que pelos teus olhos era filmada.
Segundo você, àquela altura já com o coração acelerado,
A mente hipnotizada por um foco que era eu.
Parecendo até música de compositor mineiro,
Só soube que tudo aconteceu tão ligeiro...
Que meu perfume aspirado por tuas narinas
Despertou em ti os desejos mais calientes.
Viajaste em pensamento por entre céu e inferno num só instante
Buscastes poesia enquanto contavas as estrelas pra me ofertar
Despertavas seus demônios através dos desejos carnais
Sentias o corpo responder aos instintos de macho
Vontades o faziam levitar e nada mais enxergar.
Algo forte iniciou-se ali e enfim planejastes objetivo maior:
Sonhar ter-me pra si numa voluptuosa noite de prazer e amor.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

EU CHORO



Malu Monte


Eu choro muito
Até as coisas mais simples me fazem chorar
Choro de alegria
Choro de tristeza
Choro de dor
Choro de amor
Choro ao ouvir uma bela canção
Choro pelo que sofre sem ter o pão
Choro pela criança sem família
Choro pelos que não tem um abrigo e vivem ao relento
Choro por tudo ou pelo que vale a pena ser chorado
Só não choro pelos que não merecem sequer uma gota saída de mim
Contudo, evito chorar por perdas para acalentar os que sinto frágeis
Porque o meu choro não é de fraqueza
Meu choro é de pura emoção contida
Emoção doida pra sair pelo corpo afora...

"E o que é o chorar senão um desaguar de emoções?!"

quarta-feira, 1 de julho de 2009

MICHAEL JACKSON – “O Homem” x “O ÍDOLO” (Crônica)



Malu Monte

Hoje, ao abrir meus emails deparei-me com um texto no qual se fazia uma crítica contra à apologia de pessoas como Michael Jackson.

Segundo o autor, as pessoas não deveriam enaltecer figuras com histórias de vida manchadas por crimes, tais como estupro, como no caso do cantor em questão. Na sua visão seria o mesmo que aceitar que criminosos continuem impunes diante da sociedade pelo simples fato de serem famosos.

Será mesmo que, nesse caso, os fatos são tão simples assim?!


Por não ver dessa forma as manifestações de pesar pela morte do cantor, resolvi me manifestar a respeito em favor dos fãs que, assim como eu, lamentam a perda prematura de um ídolo.

Penso que na verdade, o que se lamenta não é a morte do cidadão Michael Joseph Jackson - Homem infeliz, com transtornos psicológicos causados em função de uma “infância” triste na qual fora vítima de espancamentos, humilhações e exploração por parte de seu próprio pai que o via como uma “máquina registradora”, capaz de propiciar-lhe uma vida de luxo e ostentação.(Vide filme da vida de Michael)

Toda a comoção vista nos meios de comunicação é pela perda súbita, do artista grandioso, dono de um talento inato, que diante do que temos visto até os nossos dias será difícil substituir-se; Desse artista completo que desde muito pequeno já despontava como um gigante diante de muitos grandes no cenário musicai - Isso numa época em que ainda não existiam recursos tecnológicos. Seu jeito de cantar, dançar, a maneira como aquele garotinho se portava diante de milhões de pessoas era algo "sui generis" e que chamou a atenção do mundo. Algo que muitos críticos apontavam como passageiro à medida em que ele crescesse mas que com o passar dos anos só se reafirmou através de sua criatividade, de idéias que levaram-no a transformar passos por ele inventados em grandes coreografias compatíveis com as apresentadas nos palcos da Broadway, criações para coreógrafo nenhum botar defeito; Acentuadas também pela elaboração de videoclipes que se destacaram dos da época por apresentarem conteúdos Hollywoodianos.

Realmente, não concordo que devamos enaltecer o Michael (homem), no entanto, penso que temos a obrigação de não desprezarmos o artista; De não nos esquecermos de que fomos agraciados com toda a sua trajetória nos cenários musicais, pois, de certa forma, ele também nos presenteou e até faz parte do nosso passado por ter embalado nossos romances, nossos amores e/ou nossas vidas com suas belas canções...

Por fim, para esquecermos Michael Jackson, precisaremos primeiro nos desprendermos de nossas próprias histórias e apagarmos nossas recordações.
Donde conclui-se que...

Esquecer Michael Jackson?... Impossível!

quarta-feira, 10 de junho de 2009

EU NÃO SABIA


Malu Monte


Quando criança, eu sabia que quando a gente caía e se machucava doía
Por isso era vista como: dengosa, exagerada, metida...
Meu apelido, ainda tens dúvida?!
Ora!...Manteiga Derretida!

O que eu não sabia era que cair e se machucar não era o fim do mundo
Que na vida eu ainda levaria muito tombo
Ao evitar provar o gosto amargo de perder algo que nunca existiu
Conhecer alegria e dor num curto espaço de tempo que se extinguiu.

Quando criança eu não sabia da existência de pessoas criadas em nossa mente...
Tão reais que achamos inadmissível não serem quem pensamos ser, não estarem ali presente...
Impossível se mascararem melhor que os palhaços
E se esconderem atrás de vestes que lhes cubram o rosto.

Hoje, vejo que pessoas são mesmo uma incógnita.
Cada qual do seu jeito e um enigma que, ainda assim, tentamos desvendar
Algumas sensíveis, outras frias como iceberg
Corações de pedra, incapazes de gestos de comoção na dor alheia

Desprezíveis seres que saem por aí a brincar com vidas
A transformarem hábitos e sentimentos
Fazerem amor se transformar em ódio
Alegrias acabarem em tristeza e dor

Mas elas serão mesmo pessoas?
Afinal, como chamá-las,então?
Poxa... E pensar que quando criança eu não tinha sequer noção
De que existisse no mundo tamanha falta de compaixão!...

segunda-feira, 1 de junho de 2009

A DAMA DA NOITE


Malu Monte

Cai a noite e com ela a solidão se divide
Entre o lixo urbano que habita por toda parte
Carros com seus faróis a piscar
Refletidos no brilho do traje da "Dama da Noite"
Que com sua pose saúda os que por ali passam
A qual do outro lado da rua eu fico a observar.

Com suas minúsculas vestes apropria-se do nome
que não o de batismo mas o que por ela fora escolhido
Acho que na espera de uma noite de amor bandido
Acompanhada de seu sustento seja lá que amor for.

Sente-se como uma manequim de vitrine
Que da calçada faz sua passarela da moda
Frente ao público que examina de forma minuciosa
Cada curva e ondulação por ela ali exposta.

Dos seios que pulam de um profundo decote
Ou de suas pernas totalmente à mostra já pronta pro bote
Numa envergada de corpo pergunta ao admirador
Se quer desfrutar naquela noite do seu amor.

Recebe o olhar maldoso do homem faminto
Censura das mulheres ditas de boa conduta, enfim...
Se analisada vejo que nada faz de tão ruim e anormal
Afinal, perante uma sociedade hipócrita e amoral.

Se comparados aos trajes das jovens de hoje em dia
Em nada diferem dos usados por essa tal criatura
Que mesmo julgada como impura,
faz disso sua profissão in natura
Não estou aqui pra defendê-la, não!...

Preste atenção cidadão!...
A diferença é que ela cobra
por aquilo que outras, após uma boa manguaça,
Fazem com o parceiro da vez até de graça
sem sequer seu nome perguntar e nem sua profissão.

sábado, 30 de maio de 2009

ASCENSÃO


Malu Monte


Enfim é outono...Folhas caídas ao chão
Eu, como convicta geminiana
Expurgo de minh'alma os resquíceos desse inferno astral.
Nada pra dar certo ultimamente,
Tudo tão confuso em minha mente
Planos que foram pelo ralo da minha vida
Tanta ilusão que brotou e acabou perdida
Embrenhei-me em devaneios toscos
Sem pensar dei mais que recebi
Pra que isso tudo pelo que passei
Se alguns dizem que é preciso
Mas ninguém nunca prova o porquê?
Horas perdidas jogadas ao léu
Sonhos que pensei e não sonhei
Na verdade revendo até acho graça
No circo da vida, serei eu palhaça
A fazer rir sem saber pra quê?!
Mas porque me permitir isso tudo
Simplesmente pra provar que sou guerreira
Ao aguentar cada rojão
Qual nada, tudo pose de mulher
Que se diz dona de si
Mas que quer a proteção de alguém.
São como antíteses entranhadas em mim
Que não sei até quando irei suportar
A mágoa de tentar e perder
A vontade de vencer sem se machucar
Descortinar o véu que me protege
Da aura de santa e casta criatura
E por pra fora a dama da noite impura
Mas que dela espero me sustentar
E num patamar do qual a vida não me derrube
E eu possa ascender, aprender cair e levantar.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

AQUELE TAL SORRISO (Haikai)


Malu Monte

Que mistério ela esconde por detrás daquele sorriso?
Às vezes de menina moleca
E noutras de mulher madura
Quer levar-me às raias da loucura ao escancarar a boca
Deixar-me confuso e perdido sem saber qual rumo tomar
Só sei que seguirei guiado pela claridade que aquela boca emanar.
Mas de quem será que ela herdou aquele tal sorriso?...

SABIÁ (Haikai)


Malu Monte

E eu que acordo a cantar como um sabiá
Que me chama a gorjear no meu quintal
E faz seu ninho na janela do meu quarto
Olá sabiá que canta a me saudar
Pois que venhas sempre me visitar!

terça-feira, 19 de maio de 2009

AINDA LEMBRO VOCÊ (Haikai)


Malu Monte

Ainda lembro o teu sorriso ao entrar por aquela porta.
Eu e você que ali transformamos uma fração de segundos num momento mágico.
Será esse o meu momento "Flashback"?

sexta-feira, 15 de maio de 2009

A BUNDA QUE ABUNDA


Malu Monte


Lá vem a bunda toda faceira
Rebola pra cá, rebola pra lá
Deixando um rastro de desejo por ande passa

Atrai atenção nos mais famintos
Olhar de despeito na "Maria Ninguém"
Mas e daí?... Nada se pode fazer se ela abunda a bunda que tem

E balança a bunda que abunda
No ritmo compassado do balancê
E causa frenesi em quem a vê

A bunda que abunda quando aparece
Aumenta o prazer de quem a curte
E, no carnaval, na nudez dos corpos ela surge

E essa humilde poeta apreciadora da bunda que abunda
Diz que homem ou mulher sente o coração disparar quando ela se vai
E confessa-se fascinada diante de redonda escultura

E a bunda que abunda que lá vai
Dizem que só quem a tem empinada é a mulata. Que nada!...
Hoje, a bunda que abunda é mercadoria que está em alta!

terça-feira, 12 de maio de 2009

FREE AS A BIRD - The Beatles (Tradução)



LIVRE COMO UM PÁSSARO

Livre como um pássaro
É a próxima melhor coisa a ser
Livre como um pássaro
Em casa, em casa e salvo
Como um beija-flor eu voarei
Como um pássaro sob as asas

O que quer que tenha acontecido
Com a vida que um dia nós tivemos
E nós realmente vivemos um sem o outro
Onde perdemos o contato
Parece significar tanto
Sempre me faz sentir tão...
Livre como um pássaro
É a próxima melhor coisa a ser
Livre como um pássaro
Em casa, em casa e salvo
Como um beija-flor eu voarei
Como um pássaro sob as asas

O que quer que tenha acontecido
Com a vida que um dia nós tivemos
Sempre me faz sentir tão livre

Livre como um pássaro
É a melhor coisa a se fazer em seguida
Livre como um pássaro

sexta-feira, 24 de abril de 2009

TERRA DO NUNCA (Crônica)


Malu Monte

Certa vez, num elevador, ouvi uma conversa entre duas jovens de mais ou menos seus 17 anos e um delas dizia:
- Nunca mais vou fazer coisas que depois me arrependa!
Será mesmo que não?! - Pensei eu.
Fui pra casa e no caminho só ouvia aquela frase da jovem desiludida.
Pensei então, em como seria simplificar demais a vida se pudéssemos determinar pra cada situação específica um comportamento à adotar.
Mas que graça teria isso? Que graça teria não provarmos algo novo por medo do arrependimento?
Viveríamos uma vida ensossa, sem tempero algum... Uma vida determinada por outrem que já passou por experiências inusitadas e que, até por uma questão de gosto pessoal ou até mesmo pela época em que as viveu, não soube saboreá-las como deveria.
Experiências, são momentos em que não nos cabem julgamentos preconcebidos. Ao contrário, ideal seria avaliarmos até que ponto estaremos preparados para vivê-las ou se a mesma não irá contra os nossos princípios.
Contudo, dizer-se "NUNCA" a determinados passos que estão prestes a serem dados sem uma avaliação prévia seria muito injusto conosco, até porque, essa tal palavra de cinco letras tem poder e, por muitos anos, foi um perigo muito grande que rondou nossas vidas. Sobretudo, não podemos esquecer que, por conta de uma educação repressora, muitos de nós foi obrigado a utilizá-la com certa constância e vejam no que deu! Até hoje pagamos um preço caro quando deveríamos tê-la expurgado e optado em irmos à luta com determinação pelos nossos objetivos.
Voltando à jovem no elevador...
Eu gostaria de ter a chance de reencontrá-la e saber se ainda pensa como antes...
E quem sabe, caso tivesse essa opotunidade, dizer a ela tudo o que expus aqui. Tentaria mostrar-lhe o quanto somos capazes de fazer nossas próprias opções de forma consciente, sem que precisemos nos violentar ou nos atermos a palavras de significados fortes que podem vir a arruinar nossas vidas para sempre.
Sendo assim, deixo um recado que vale tanto pra ela, como para quem ainda não se deu a chance de refletir sobre essa questão:
Tente propor a si mesmo a construção de uma nova vida!
Crie pra si uma meta como num grande anúncio de classificados e permutas...
...Mais ou menos assim:

"TROCA-SE UMA VIDA DE MARASMO POR UM ESPÍRITO AVENTUREIRO."

Ou será que você prefere viver na "TERRA DO NUNCA"?"!

sexta-feira, 10 de abril de 2009

CHAMAS EM MIM


Malu Monte

Deixe-me livre!
Quero viver por entre flores
A correr pelos jardins alheios
Deslizar pelas corredeiras
Escalar montanhas
Preciso estar livre pra viver a minha história
Sonhar sonhos que são só meus.
Por favor, é só o que te peço...
Dê-me a liberdade de que tanto preciso
Deixe que eu curta meus devaneios de fêmea
Que eu me lambuze do mel que a abelha fabrica
Careço tomar banho de chuva nua pra lavar a alma
Exterminar demônios que habitam em mim
Encontrar os anjos dos quais eu possa colher a felicidade
Dentro de mim mora alguém que não mais reconheço
E a cada passo dado me surpreendo com as descobertas que faço
Hoje sou uma estranha de mim mesma
Horas me odeio por me deixar aprisionar por você
Não sei viver sem me jogar
Preciso experiências tentar para crescer como pessoa
Não posso viver numa redoma à ser protegida
Quero lutar, bater, apanhar, cair pra levantar com meus próprios pés
Chega de proteção! Chega de excessos de zelo!
Só assim descobrirei onde me levará essa tal estrada da vida...
Por que cersir um tecido poído se é melhor deixá-lo rasgar pra se desnudar?!
Deixe que eu me arda em chamas!
Não jogue água na fogueira!
Ao contrário, permita que eu ponha mais lenha;
E nem o mais forte dos ventos a apagará.

terça-feira, 7 de abril de 2009

VERDADES MENTIROSAS


Malu Monte


Verdades ditas por ti sinceras;
Soam como mentiras por mim ouvidas.
Quem sabe, então, tuas mentiras que por vezes repetidas,
Não se transformaram em verdades por mim aceitas?
Vejo aquilo que vem de ti como um turbilhão;
Idéias confusas e superficiais;
Palavras soltas ao vento;
Gestos sem nenhum sentido para o momento;
Tudo tão desconexo, jogado, largado ao tempo;
É como se o eco das palavras por ti proferidas;
Chegassem até mim sem nenhuma compreensão;
Talvez quem saiba eu prefira tapar os ouvidos para assim não escutá-las?
Não quero mais ferir meu coração!

segunda-feira, 6 de abril de 2009

PERDAS E GANHOS (Crônica)


Malu Monte


Você já se deu conta de como é complicado pro ser humano saber lidar com as perdas?
Na maioria das vezes, durante a infância, as crianças são poupadas das perdas; Vivem num mundo mágico e fantasioso em que não existe lugar para a morte - Ao contrário, esta "senhora" é substituída por uma "longa viagem" e sabemos nunca terá a sua passagem de volta. No caso da perda de um animal, por exemplo, imediatamente o mesmo é substituído em muitas das vezes por outro de mesma raça ou espécie. Isso se aplica também a outros tantos exemplos que vemos pela vida afora.
No entanto, pais superprotetores não se dão conta do mal que causam ao tentarem poupar seus rebentos das perdas, sobretudo, porque esses filhos ao se depararem com qualquer situação do gênero certamente perderão o eixo e consequentemente se descontrolarão, chorarão, lamentarão e pensarão até em desistirem mesmo sem terem tentado uma segunda chance.
Contudo, somos sabedores de que perdas existem e sempre existirão, portanto, elas deverão ser trabalhadas desde cedo dentro de cada um, a fim de que toda experiência ocorrida, seja ela boa ou má, nos sirva como um suporte emocional para enfrentarmos qualquer obstáculo que surja pela frente.
Ficam aqui algumas reflexões a serem consideradas ao longo da vida, aos que se viram superprotegidos por seus responsáveis - guardiãs de sua orientação educacional:
- Que tal lembrarem-se de que a vida é feita de ciclos - no exato momento em que fecha-se um, abre-se um outro e este poderá vir recheado de grandes realizações?!
- E que tal pararem pra pensar no que seria da vida se não houvesse a expectativa do novo?!
- Por que não substituírem as desilusões pelo recomeço?
- E se tentarmos transformar o que for ruim em algo de bom; com algum conteúdo?!
Perceberam? É assim que devemos vislumbrar o recomeço, sobretudo, se pensarmos que o verbo recomeçar combina com esperança por dias melhores;
Recomeçar é jogar fora coisas negativas e incutir na cabeça que tudo que virá pela frente poderá nos proporcionar prazer, sabedoria e experiências que mesmo negativas, ainda assim, nos servirão como aprendizado.
Talvez isso soe utópico, no entanto, que tal pensarmos daqui pra frente em perdas como sinônimo de renovação, transformação?!
Como veem, não viajamos por uma via de mão única, pois a estrada da vida é repleta de caminhos tortuosos que não sabemos onde nos levarão. Através dela, teremos a oportunidade de cruzar com diferentes cenários e pessoas que muito nos ensinarão a nos transformarmos em algo melhor e de captarmos o bem ainda que, pra isso, tenhamos que tomar um percurso muito complicado o qual só os pacientes e os sábios alcançarão.
Por fim, uma dica para aqueles que pensam em pegar o acostamento e chegar mais rápido aos seus destinos: Sugiro nem tentarem essa alternativa, sobretudo, porque poderão ser ultrapassados por outros indivíduos que já traçaram essa mesma rota e tiveram que voltar ao ponto de partida pra então recomeçá-la - Só que com uma significativa diferença: Estes agora deverão ser vistos como adversários muito poderosos, preparados através de experiências adquiridas ao longo da vida nas quais aprenderam a transformar suas perdas em ganhos na tentativa de um recomeçar.
Pensem nisso!

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

O AMOR INCONDICIONAL (Crônica)


Malu Monte


Hoje falarei de uma frase que qualquer um já ouviu na vida pelo menos uma vez: "Dar é muito mais do que receber".
Mas, será que quem a criou pensava exatamente assim?!
E se lá no fundo isso tudo soar como pura hipocrisia utilizada apenas para a construção de uma frase de efeito?
Talvez, por outras lentes, possa ser interpretado como puro egocentrismo esperar-se ouvir do outro a expressão "Eu te amo" ao longo de uma relação afetiva...
A questão é que nunca saberemos a medida exata de onde termina a paixão e começa o amor.
Como saber-se se um indivíduo ao abrir as portas de seu coração não espera que a pessoa agraciada pela convite lhe faça uma retribuição de forma, se não igual, pelo menos próxima do que lhe é ofertada?!
Enfim, essas e outras dúvidas só pairarão sobre as cabeças pensantes e românticas daqueles que vivem a vida para a entrega do seu melhor; Daqueles que realmente não se importam em dar sem ter o que receber...Pra esses eu só poderia dizer que é menos humilhante do que o vazio sentido por aqueles que não sabem conjugar o verbo amar.
Que seja assim se tiverem a perfeita convicção de que o que querem pra si é apenas a substituição do "Eu te amo" por:

"SORRIA, VOCÊ ESTÁ NO MEU CORAÇÃO!"