sexta-feira, 17 de setembro de 2010

ROMÂNTICOS (Crônica)




Se sou romântica?...
E por que não seria?!
Na verdade todo aquele que sonha já faz parte do "Clã dos Românticos"
Mas então, o que é ser romântico?
Na verdade não existe uma só definição para o ser romântico.
Podem existir várias características numa só pessoa para que ela seja considerada romântica ou apenas uma que já lhe dê o passaporte para ingressar nessa categoria.
O Romântico por exemplo, é aquele que consegue se colocar no lugar do outro e sentir a sua dor na mesma proporção;
Todo aquele que vive com o coração no comando da vida é um sujeito romântico.
Ser romântico é não se importar se se é visto como ridículo e, se amar, procurar demonstrar aquilo de forma visceral. Aliás, essa é a palavra chave do romântico:
"V I S C E R A L"!
Tudo o que um ser romântico mais quer no momento em que se descobre no amor é mostrar-se ao mundo. Ele busca isso através de gestos como: abraço, beijo, afago, um poema, um suspiro...
Ahhhhhh... Falando nisso... Você já percebeu como é o suspiro de uma pessoa romântica? Não é um suspiro qualquer! É algo que vem de dentro com tamanha intensidade que todos à sua volta se contagiam.
E o olhar do romântico, então?... rsrsrs...
Parece estar viajando por entre nuvens... E o seu brilho não tem igual! Atrairá qualquer olhar que com o dele se deparar!
Todo romântico é um viajante, sonhador de um sonho daqueles que se sonha acordado;
É misto de guerreiro e menino; Guerreiro, porque quando entra no jogo, tem coragem para apostar todas as suas fichas no amor; Menino, porque quando perde essa aposta chora e enxerga nessa dor a poesia.
Ser romântico é se perder na busca por se encontrar...
Ser romântico é vislumbrar no defeito alheio um paraíso em que se possa conjugar o verbo amar!

http://www.youtube.com/watch?v=qhSrmV-YDO8&feature=fvwrel

sábado, 11 de setembro de 2010

TALVEZ...


Malu Monte


TALVEZ um dia nos esbarremos em plena multidão
Por entre pessoas, carros e papéis picados ao chão

TALVEZ um vento que venha forte me traga você
Quem sabe o que no amanhã poderá viver?

TALVEZ num desses descaminhos reescrevamos mais um capítulo de nossa história
E achemos algo novo pra contar

TALVEZ as diferenças possam ter pesado contra
Será que era mesmo pra ser?...

TALVEZ as oposições nunca se aproximem
Mesmo com o mundo afirmando que elas se atraem.

TALVEZ o tempo seja mesmo o senhor da razão
Vamos dar-lhe o prazo que ele quiser

TALVEZ nossa história seja sustentada pelas reticências...
E isso contribua para que ainda não haja um final feliz.

Sinto que ainda nos esbarraremos em qualquer situação
Entre pessoas, carros ou
TALVEZ numa rua vazia de gente
Sem os tais papéis picados ao chão.

domingo, 5 de setembro de 2010

OS BELOS QUE ME PERDOEM MAS INTELIGÊNCIA É FUNDAMENTAL


Malu Monte

Olho pro mundo com olhos de lince
Conceito de belo vai além de um bela cara
Vejo fundo na alma do outro
E lamento quando me vêem pelo que me embala

Mas por que será?!
Se casca o tempo desgasta
Afinal não não sou lagarta
Borboleta tão pouco hei de virar.

Suplico que me vejam a alma
Que ouçam o meu coração falar
De nada adianta
Se deixam o desejo imperar

Apaixono-me pelas palavras
Por vezes desprezo o que é visual
Inteligência é afrodisíaco
E mexe com o meu emocional.

Se por vezes sinto-me tentada
Ah... Não é só pelo que vejo não!...
Quando ouço o sussurro de algumas palavras
Fico como um vulcão pronto a entrar em erupção!

Portanto, caros amigos,
Pra que beleza se o importante é o paladar
Afinal, não afirmem que algo é gostoso
Sem que antes o possam provar.

PEÇO LICENÇA A VINÍCIUS DE MORAES POR BRINCAR COM SUAS PALAVRAS.