quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

DOCE DESEJO


(Malu Monte)

De repente eu me vi assim
Frente a frente ao desejo;
Garganta seca, ventre molhado;
Um cheiro de cio pairava no ar;
Você me traz um mistério que eu não sei desvendar.
E me prende em teus braços;
Me enrosca em tuas pernas;
E eu me entrego, doce serva, frágil que estou, sem resistência.
É algo cósmico essa energia que paira sobre nós.
Tentei domar meu sentimento;
Mas não consegui,
Cedi.

Nenhum comentário: