sábado, 27 de outubro de 2007

PÁSSARO FERIDO


(Malu Monte)

Voa pássaro ferido;
Cura esse coração partido;
Tenta refazer o caminho tortuoso por onde tu passaste;
Vá até o ponto em que tu erraste.

Não é porque tudo deu errado que vais fraquejar e deitar-te num leito;
Sinta a força interior que guardas no peito.
Lute até a exaustão mas não a deixe escapar;
Você pode e deve, basta querer acreditar!

Alcance a ponta do nó que se partiu em você;
Isso mesmo! Comece do zero. Pague pra ver!
Que tal amarrá-la pra não cair?
Não tenhas vergonha de admitir: Eu errei e daí?...

Alguém te tocou, te cravou um punhal e te feriu, eu sei;
Mas você pode e deve fazer a sua própria lei.
A de transformar em renascer as dores do sofrer:
E que te ressurgirá das cinzas, assim: bela e formosa, linda de viver!

Não uma lei da vingança igual a de quando se era criança.
Enxugue as lágrimas, abra esse lindo sorriso;
É só disso que preciso.
Vá minha Fênix, voa, renasça das cinzas, namora com a esperança!

Um comentário:

Lily disse...

olá qurida! sem quere achei seu blog.
Pareticularmente amei este poema. É muito real para mim.

Deus abençoe suas inspirações.

Abço

Lili