quarta-feira, 18 de maio de 2011

COMO UM PÁSSARO



Malu Monte

Quisera ser como um pássaro
Voar pela imensidão do céu
Ver a vida de cima
Libertar-me da maldade humana

Quisera ser como um pássaro
Não temer o mal que me cerca
Livrar-me da língua ferina de uns
Do julgamento cruel de outros

Quisera ser como um pássaro
Sentir meus corpo a brisa balançar
Solto ao vento flutuar
E de braços abertos decolar

Quisera ser como um pássaro
Pra não temer a ventania
Agarrar-me nos fortes galhos das árvores
Como quando criança eu fiz um dia

Quisera ser como um pássaro
Dar voos razantes sobre o mar
Não temer as ondas que batem
Para na areia meu corpo repousar

Quisera ser como um pássaro
Descobrir novos horizontes
Desbravar mundo afora
Feliz pra sempre eu seria!

2 comentários:

Henrique Biscardi disse...

Escritores são pássaros, não sabia? rs. Belo poema. Inspirador. Parabéns!

Simplesmente Malu! disse...

Você tem razão. A nossa mente voaaaaaaaaa!
Obrigada Henrique!