quarta-feira, 26 de setembro de 2012

A HORA DA PARTIDA
















Malu Monte


Dói em mim ver-te assim tão frágil
Que já não és o que antes fora
Pernas trêmulas, num corpo desgastado pelo tempo
Na luta por um dia de cada vez

Oh quantas conversas em silêncio tivemos
Minhas tristezas que em ti eu despejava
E, nesse monólogo, tu me acompanhavas
Mas hoje, já não consigo fitar os olhos teus como antes fazia

Ao sentir que a hora da tua partida se aproxima
Fujo ao perceber o teu olhar a procura do meu
Talvez tu não compreendas o vazio que me habita
Mas o medo de te dizer adeus me deixa aflita

E, ao acariciá-lo, ouço as batidas do teu coração
Que logo dá lugar a descompassados suspiros
Oriundos de uma eterna gratidão
Fato, saber que a hora da tua partida está a chegar
E nesse instante, eu sei, não vou mais me segurar!


Dedicado ao meu cão "Pingo" - Amigo fiel . Após dezesseis anos ao meu lado, no dia 31 de dezembro de 2012, teve que se despedir mesmo sem querer partir. Adeus, amor da mamãe!




4 comentários:

Sotnas disse...

Olá Malu, e que tudo esteja bem contigo!

É um momento deveras triste saber está próximo o fim a vida de um amigo de maior fidelidade que conhecemos!

Aqui em casa também há um que há dezesseis anos nos faz companhia, e também já demonstra sinais de que não há mais tanto tempo!

Enfim é um dos momentos a que nós humanos não estamos e espero que jamais nos acostumemos com tal momento, pois assim continuamos a valorizar, não tanto quanto seria necessário esta dadiva que nos foi doada pelo criador!

Belo escrito de intensa gratidão em homenagem a este teu amigo.
E eu agradecido por tuas visitas e amizade, desejo que você tenha em teu viver a intensa felicidade, abraços e até mais!


Moacir Willmondes disse...

Dói tanto, não é Malu... Só imaginar a saudade já é semeada dentro de nós.

Tive uma que viveu 18 aninhos, uma senhoria na idade dos cachorros, como seu filho aí no post.

Apesar dos difíceis cuidados dos últimos dias, quando lembro dela ainda sinto ela rebolando de alegria para mim.

Um abraço e ótimo final de sábado!

Vinícius Monte Custódio disse...

Muito bonito, mãe! Realmente é muito triste esse momento da despedida, ainda que saibamos que ele tenha vivido bastante além da expectativa de vida dele.

Tais Luso disse...

Comovente, triste!
Também penso nisso; há de chegar pra mim, como outras duas vezes; não tem uma explicação que dê um alívio para nossa alma. É muito dolorido.

Abraços.