quarta-feira, 26 de maio de 2010

ENCONTROS E DESPEDIDAS

















Malu Monte

Sento-me à beira do cais
Ponho-me a observar a pessoa que fica
Vejo tristeza estampada em seu olhar
Lembranças levadas pelo vento
Momentos felizes que ficarão no pensamento.
No cais, o nativo mantém-se ali parado
A fitar aquele navio que vai sumindo aos poucos...
Navio este, que leva consigo um pedacinho de si
Que faz com que a paisagem que, até então, lhe era costumeira
Seja modificada por ver o seu amor partir.
Semblante distante num olhar perdido
Vagos pensamentos dos sonhos compartilhados
Horas atrás por eles ali vividos.
À pessoa que parte
Resta-lhe apenas o transcorrer da viagem
E o contemplar das ondas que batem na embarcação,
Sensação do sol queimando-lhe a pele,
A brisa a soprar-lhe o rosto,
O desmanchar de seus longos cabelos
A gelar-lhe o coração.
Fica, então, naquela que vai
A expectativa pelo ancorar de seu barco no porto de origem
A busca do reencontro com o passado
Outrora ali deixado e que antes lhe parecia tão esquecido...
Milhares de dúvidas pairam sobre sua cabeça
Será que aqueles dias voltarão?...
Dias em que outono se fez inverno,
Primavera se fez verão
Verão se fez amor
Ah! Isso tudo daria uma bela canção!...

3 comentários:

## LI ## disse...

Esses encontros com certeza se repetirão ao longo da vida...Um grande abraço e beijinhos de luz para te iluminar a vida!!!

Simplesmente Malu! disse...

Li,

Não consigo acessar o seu blog para te agradecer pelo comentário.
Portanto, aproveito este espaço pra registrar o meu agradecimento pela sua participação carinhosa.

Jorge Sader Filho disse...

Mas daria uma marchinha, ou samba de Carnaval mesmo!
Navios partindo você também gosta, Malu.

Beijos
Jorge