segunda-feira, 28 de julho de 2008

EU VI UM MENINO


(Malu Monte)

Eu vi um menino
De olhos sem o brilho da juventude
Na pele rachaduras do tempo
As quais chamamos de rugas
Aquelas que alguns poetas em seus versos mostram se orgulhar
E, no entanto, homens e mulheres tentam a grande custo se livrar

Esse menino que me implorava colo
Cresceu e não se deu conta disso
Ao sofrer nem percebeu o que realmente é viver
Sobreviveu e amadureceu num mundo lindo que nunca chegou a ver

Eu revi esse menino...
De cabelos brancos mas ainda com sorriso puro de criança
Sentado em sua cama de jornal e vestido com seus trajes encardidos
Ele comia das migalhas que os outros lhe davam
Pisava no chão em que muitos cospiam
Mas que olhava-me como quem reconhecia alguém que outrora lhe dera um afago

Hoje, suas mãos já calejadas por um tempo
Em que pensava do trabalho adquirir o sustento
Fez-se um verdadeiro equilibrista na corda bamba da vida
Passeia por entre a bala perdida
Caminha anônimo em meio à multidão que por ele passa
Covarde aos olhos dos outros, no entanto, não tem medo de nada

Guerreiro valente por força da natureza
Aquele menino ainda ri da tristeza
Dribla o sofrimento com a esperança
De que a cada virada de esquina
Dará a volta por cima
Tal e qual pensava quando criança.


*Texto inspirado no personagem "O Mendigo"- programa "A Praça é Nossa" falecido recentemente e em todos os mendigos que estão espalhados por este grande Brasil.

Um comentário:

leandro disse...

Daria uma bela música...
d+++