quinta-feira, 11 de abril de 2013

AO PAPEL VOLTAREI
























Malu Monte


Por que me olhas desse jeito?
Se te arranho com meus textos
Tenho certeza que gostas
Cravo ali no teu âmago cada sentimento meu
Pra ti, abro os mais doces delírios
Tudo sem um traço de pudor ou medo
Faço de ti um amigo fiel, confiável.
Se o silêncio impera em nós
Os sentidos são despudorados
Mas por que me olhas desse jeito?
Só a ti faço as mais loucas confidências
Colo os meus cacos
Revivo momentos,
Reinvento o viver
Encho-me de vida
Mas de risos quero morrer
Em ti, nutro-me de amor
Por ti, entrego-me em poesias e devaneios
Sonho um sonho que nunca terá fim
Como a protagonista de belos versos
Neles personagens ganham vida real
Rainha, princesa, plebéia, fada, bruxa ou prostituta...
Nesse paradoxo, o que você quiser que eu seja, serei...
E, se por ti, meu fiel apático, eu me descortinei...
A ti, e só a ti, eu sempre voltarei.

6 comentários:

Jorge Sader Filho disse...

É gostoso falar com o papel em branco, nosso amigo e aliado... Ficou excelente e sincero, querida Malu!

Grande abraço,
Jorge

Vera Lúcia disse...


Olá Malu,

Muita criativa esta sua inspiração.
Gostei do 'fiel apático'-rsrs.

Beijo.

Will disse...

Belíssima forma de tocar, por meio dos versos que nascem de dentro e tocam com fascínio a pele de quem se destina.

Abç, Malu!

Sotnas disse...

Olá Malu, e que tudo esteja bem!

Com sensibilidade, aliada à criatividade neste teu belo espaço você compartilha mais este belo escrito, pois não bastam ter somente inspiração para povoar a folha em branco de belas e encantadoras palavras que conseguem transportar quem as lê, parabéns por mais este belo pensamento!
E já que cá estou agradeço por tua amizade e gentis visitas, e deixo cá meu desejo para que o teu viver seja sempre deveras intenso e feliz, abraços e até mais!

Jorge Sader Filho disse...

Bonita entrega, Malu!
Muita gente tem medo de ser assim, sincera para valer.
Meu abraço.
Jorge

Adolfo Douahy disse...

Da pra sentir a tua entrega em cada palavra.
Eh bom saber que sou amigo de uma poetisa ... beijo no coracao minha doce amiga! Adolfo (Jorginho)