quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

PERDOO EM TI


Malu Monte

Aos poucos descubro
No brotar da mente humana
Daquilo que por vezes proclamas
Com elogios ou galanteios viris

A vida nos prega peças
Dessas tomo ciência
Do que da idade extraio
Em doses homeopáticas de sapiência

Não me atrevo a dizer-te agora
Nem me importo o que pareça depois
Se tola, fraca ou sei lá o quê...
Deixo por conta de que um mais é igual a dois

Mas quem sabe nas voltas que a vida der
Ficará simples se ver
Que aquilo que hoje te parece certo
Foi mero erro que acabaste de cometer

E como perdão foi feito para gente pedir
E como não existe quem nunca errou...
Não será vergonha teres que admitir
Tal qual um ateu arrependido do que pecou

Mas, então, porque batizar assim este poema?
Por certo vale a pena prestares atenção
Tudo aquilo que se diz com o coração
Está registrado nas entrelinhas da sublimada canção.

3 comentários:

Míriam Luiza disse...

Lindas palavras!

Simplesmente Malu! disse...

Olá Míriam!

Obrigada pelo carinho!
É sempre um prazer vê-la comentar os meus textos.
Bjs.

Oton disse...

oi Malu, por onde andas menina mulher?