terça-feira, 8 de junho de 2010

FILHOS/ POEMAS


Malu Monte


Poemas são como filhos que pomos no mundo
Pois se filhos saem da dor do parir
Poemas bem assim são concebidos
Surgem pela dor que muitas vezes sentimos
E ao externá-los são como vidas que nascem
Não se sabe como serão vistos
Se serão admirados por sua beleza
Ou se criticados por sua ausência
Não se sabe se serão amados por todos
Ou se ignorados em um canto qualquer
Ah mas quem os pare com certeza o sabe bem
Como é de grande valor um comentário
Pra quem lhes deu a vida
Sempre significarão algo
Pois pra cada parto descrito
Tem-se uma razão para sê-lo
E cada ato de concepção
Faz-se de um abundante sentimento
Ainda que este fosse só um ato por zelo
Ele estivera ali presente
Seja em forma de paixão
De alegria
Dor
Amor
Solidão...
Filhos, meus filhos queridos!...
Que bem que vocês me dão!
Que alívio que eu sinto ao dar-lhes vida!
Vinde a mim, oh inspiração!


3 comentários:

Márcia Luz disse...

Lindo seu blog! Lindo esse poema! Parabéns!

Jorge Sader Filho disse...

O instinto materno é muito forte.
Malu acaba de provar, poeticamente, a afirmação feita.
Grande abraço.

fatima ocampo disse...

Lindo, parabens pelo blog! Bjinho.